Se você não tem, corre. A camiseta com uma charmosa Pedrita estampada no melhor estilo 2nd Floor já está à venda nas lojas da Ellus. De Bedrock para o Minas Trend, que aconteceu essa semana no Expominas em Belo Horizonte. A filha de Fred e Vilma cresceu e virou musa resort da marca, criada por Tiago Marcon e Adriana Bozon. "Tentamos trabalhar os Flintstones pensando na forma como isso vai para a rua: em formas amplas, inspiradas na arquitetura dos anos 60, quando o desenho fazia sucesso. 

O balé de Amy Purdy na abertura das Paralimpíadas lavou a alma de quem não gostou da campanha "Somos todos paralímpicos", feita pela agência África e publicada na revista "Vogue". A imagem da snowboarder americana rodopiando com leveza sobre duas próteses e rompendo seus limites físicos lembra momentos em que arte e moda se uniram para libertar o corpo de sua prisão. Entre eles, o famoso editorial com a campeã de atletismo Aimee Mullins, feito pelo fotógrafo Nick Knight para a revista Dazed and Confused em 1998.

Uma olimpíada tropical com atleta usando saia na campanha. Trópicos equilibrados com alfaiataria por Lenny Niemeyer, que apresentou o uniforme do time brasileiro de atletas na abertura e no encerramento dos jogos. Quem melhor definiu e posou com a roupa foi Pedro Gonçalves, da Canoagem: "ela traduziu com sutileza as cores do Brasil na estampa". Paulo Borges, coordenador do estilo olímpico, explicou a proposta e respondeu às críticas ao uniforme criado pela estilista Andrea Marques.

O menino do Rio trocou o Havaí pela Bahia, sonha com os melhores dias do Arpoador ligando seu Wi-Fi numa onda única, de Bali a Califórnia. Está mais alongado, fazendo menos musculação e mais ioga, alma e corpo em sintonia slim com o shape da Foxton. À frente da marca, comprada ano passado pelo grupo Soma, os fundadores Rodrigo Ribeiro e Marcella Mendes têm um desafio: democratizar o estilo sem perder a identidade.

Conteúdo e beleza em vez de consumo. Na performance de Mara Mac, dirigida por Bia Lessa no Rio Moda Rio, moda e teatro se unem para pensar num lindo cenário de folhas secas colhidas durante três fins de semana no Jardim Botânico. Na boca de cena, uma cascata de letras derrama a frase: E assim viveremos. Vogais e consoantes se fundem como se fossem formar novas frases e contar novas histórias.

O último dia do Rio Moda Rio foi mágico. A passarela surpreendeu de várias maneiras. Com o incrível por do sol no desfile da Osklen no Museu do Amanhã. E com os pré-shows das marcas Lenny, Blue Man e The Paradise. Na Blue Man, uma instalação multicolorida de carretéis, tecidos e estampas recebeu os convidados, enquando a Paradise divertiu quem chegava em clima de mil e uma noites. Na Lenny o público entrou em estado zen com um jardim japonês e seu jardineiro.

Da renda geométrica na Maria Filó ao Art Nouveau esportivo da Alessa, o segundo dia de desfiles do Rio Moda Rio teve momentos inesquecíveis como assistir a Maria Filó desfilar no terraço do Museu de Arte do Rio, voar com as estampas de gaivota na passarela de Andrea Marques e viajar no elaborado handmade de Isabela Capeto. 

A cenografia de Gringo Cardia deu o tom do espetáculo no desfile de Patricia Viera. As geometrias do painel cenográfico de fundo só realçaram a coleção da estilista, que anda apaixonada por Cuba e trouxe um verão caliente, em cores primárias. Lino Villaventura, recordista de desfiles da temporada, fez sua terceira apresentação homenageando o Rio nos tons preciosos. Martu estreou desconstruindo a festa.

Com o Rio Moda Rio, realizado essa semana, a cidade começa a recuperar sua posição como lançadora. A moda carioca desfilou no Museu de Arte do Rio com a Maria Filó, ocupou a escadaria do Palácio Tiradentes com Ivan Aguilar e encheu os olhos da plateia com a Osklen no Museu do Amanhã. Para completar, encerrou hoje o evento com um desfile aberto ao público na Praça Mauá. Qual a importância do evento em pleno momento de crise? Absoluta, afirma Luiz Calainho, da Dream Factory, responsável pela organização. 

Legítimo baiano que cresceu à beira do Velho Chico, Guto Carvalhoneto é um rodamoinho de emoções, arte, sertão e cidade traduzido em roupa. Professor de antimoda da Escolas de Artes Visuais do Parque Lage, no varejo há 13 anos, amigo de infância de Wagner Moura, Guto já é conhecido por suas peças geométricas moldadas numa finíssima costura em moletom, vendidas na Dona Coisa. Seu primeiro desfile comemora cinco anos de marca contando uma história através da camisa branca. Título da coleção: Primeiro grito.

Receba nossa Newsletter!

 
amandas_heloisa_marra3.png