×

Aviso

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 1364

intro

Com Anja Konstantinova, modelo russa, andando meio desengonçada na passarela, a Auslander encerrou o Fashion Rio em preto e branco. Anja combinou com o estilo da marca, que não segue padrões pré-estabelecidos de beleza. No último dia do Fashion Rio, OEstudio desfilou o Cérebro do Bem em looks predominantemente brancos, R.Groove arrasou na alfaiataria masculina gostosa de usar em algodões e lãs tropicais. Na moda praia, a Triya divertiu o respeitável público com uma feminilidade clichê: super mulheres e super biquínis literalmente despidas para matar. Vejas os destaques.

 

 

O esporte chique de Bianca Marques

 

monta bianca

A ideia de trabalhar com esporte veio do filho, Luis Felipe, de seis anos. "Ele me deu um chaveiro de luva de boxe pink, e aí eu pensei que seria divertido ter aquilo em estampas, força da marca", contou Bianca Marques. Azul bic, off-white, pink, laranja e melancia coloriram as peças.

Nas estampas, bicicletas, skates e luvas de boxe junto a onomatopeia de socos (pow). O shape era similar ao das roupas dos atletas, principalmente dos lutadores, com cintura marcada e uma faixa fina completando a alfaiataria. Apesar de falar de esporte a marca se manteve fiel aos tecidos que costuma trabalhar, como cetim de seda pura e crepe.  

Fotos: Roberto Filho / AgNews

OEstudio e o Cérebro do bem

Leve, sensível, a coleção MEMO de OEstudio foi o resultado de um grupo de estudo conduzido pela consultora e neuro linguista Izabel Monteverde. De acordo com pesquisa de Izabel sobre o nosso cérebro, existe o Cérebro do Bem, que é altruísta e entende que a sobrevivência da espécie depende diretamente da sobrevivência do grupo. Com plissados que se desfazem, estudos de dobraduras, origamis e vincos, o verão de OEstudio, segundo Anne Gaul, brinca com as marcas da memória e com a possibilidade de dar novos significados a essa memória criando novas versões de passado e futuro.

Alpargatas de crochê e muito branco

As estampas de bichos coloridas que aparecem nas peças são origamis. E na cartela predomina o branco, sempre pronto para novos registros. Bonito o efeito do poliéster listrado transparente nas laterais das pantalonas e o jogo de camadas em diáfanos vestidos. Interessantes as alpargatas feitas de crochê e moldáveis ao pé graças ao elástico. Foram feitas, assim como os bordados, pela Ong do Banco da Providência. As saias de palha de coqueiro indígenas usadas com camisaria branca são autênticas. A entrada na passarela de duas modelos gêmeas com looks diferentes nos lembrava que, mesmo idênticas, cada uma registra experiências e forma memórias à sua maneira. Na trilha sonora, a voz angelical de Karina Zeviani levou o público ao paraíso cerebral. Quase uma meditação.

 O Novo Tropical da R.Groove

Montagem R. Groove 

A R.Groove entrou na passarela com uma alfaiataria limpa e casual brincando com t-shirts de frutas e calças compridas. Limões sicilianos e abacaxis descontraíram o verão de Rique Gonçalves, estilista, artista, ilustrador, streetmaníaco. A alfaiataria da marca é sofisticada e confortável com tricôs finíssimos tecidos com fio transparente em preto e branco com leve brilho prata sobre calças compridas impecáveis.

Linha Premium skate, objeto de desejo

Os shorts surgiram construídos em camadas de blocos assim como algumas jaquetas, que combinaram preto e amarelo. Algodões macios, lãs tropicais, sarjas, seda pura e tecidos orgânicos acolheram o corpo com toque agradável. Segundo Rique, as estampas de folhagens e palmeiras foram as primeiras a serem criadas. Verde menta, rosa, laranja e amarelo cítrico iluminaram as bases da coleção em preto, cáqui e branco. Os rapazes vão querer os tênis da linha Premium Skate em camurça bege, grafite e ameixa feita em parceria com a Converse.
combo.Triya
Triya e o sexo forte

Sensualidade e feminilidade agressiva são as palavras que definem o desfile de verão 2014 da marca de moda praia paulista Triya. Tendo como influência os artistas Linder Sterling, Helmut Newton e M.C. Escher, a coleção fez uma referência quase literal a algumas de suas obras. De Sterling, mestre na fotocolagem, saíram as rosas vermelhas e bocas rosadas que invadiram a primeira parte do desfile. Do desenhista ilusionista MC Escher, padronagens gráficas e a reprodução em estampa do labirinto de uma de suas obras.

De Newton, enfim, a imagem da mulher nua que estampou um kaftan, peça-chave do desfile, a referência à lingerie (já que ele fotografou muitas mulheres em roupas íntimas) e a sensualidade brutal, ligada à ideia da mulher poderosa, que a Triya traduziu em peças com recortes adornadas com tubos de metal e tiras diagonais. Definitivamente, não é para os fracos!

monatgem auslander

A Ausländer encerrou o Fashion Rio com uma coleção preta e branca baseada nas fotos do blog do diretor criativo da Saint Laurent, Hedi Slimane, o Slimane Diary. "Fomos muito questionados por fazer uma coleção de verão sem cor, mas percebemos que faz parte do nosso DNA, toda equipe usa muito preto em todas as estações, e o blog também nos confirmou, pois as fotos são em P/B. Acabou que não só nós mas muitas marcas estão apostando nesta mistura", disse Cadinho. 

Anja (veja entrevista clicando aqui) abriu o desfile que ainda contou com a participação de Thaila Ayla e Yasmin Brunet. Na coleção, modelagem bem justa, muitos croppeds, fendas, cintura alta, transparências e decotes (costas). Da parceria da Lenny, não apenas os maiôs, mas a influência de tecidos, como o neoprene, usado até em blazer.  

   

 


 
amandas_heloisa_marra.png