{ochaddads id="1"}

Tim Burton desta vez bateu o olhão numa das maiores fraudes artísticas da história para fazer seu novo filme "Big eyes" (Grandes olhos), que estreia por aqui no final de janeiro. Nos anos 60 o pintor Walter Keane, vivido por Christoph Waltz, revoluciona o mercado artístico com quadros mostrando meninas de olhos misteriosos e enormes. Fama que escondia uma grande mentira.

A verdade sobre as obras só surgiu muitos anos depois, revelando que Walter não era o criador dos trabalhos mas sua mulher Margaret (Amy Adams), que ele mantinha praticamente trancafiada no ateliê produzindo. "Eu tinha que trancar a porta porque ele não permitia que ninguém entrasse", conta Margaret, hoje com 87 anos. Quanto mais sucesso faziam as obras maiores e mais tristes ficavam os olhos das meninas, revelando o estado de espírito da artista.

MargaretKeane

Enquanto Margaret, como uma esposa típica dos anos 60, ficava em casa, Walter fazia seu próprio marketing na boemia de clubes como o Hungry i, em São Francisco. No tribunal, Margaret contou que não revelou a verdade antes pois Walter ameaçava ela e a filha de morte. 

mais casal

Ela só teve coragem de processá-lo reivindicando a autoria do próprio trabalho em 1986, quando já estava casada novamente. Diante do Juiz ela e o ex-marido foram convocados a desenhar e comprovar quem era o verdadeiro autor. 

casal

Walter recusou-se a desenhar, alegando um problema no ombro. Margaret desenhou na mesma hora e ganhou o processo, obrigando Walter e o jornal USA Today a pagarem uma multa de US$ 4 milhões. Walter morreu sem um tostão no ano 2000. E Margaret, ao ver a première do filme, disse: "Olhando para trás, como pude ser tão estúpida!".

portraits

Além das meninas com olhos enormes, Margaret ficou famosa como retratista de nomes como Joan Crawford, Dean Martin, Natalie Wood, entre outros. Na ocasião, até mesmo os portraits eram atribuídos a Walter.


bigeyes

Dessa vez Tim Burton adotou uma narrativa mais minimalista dando ao filme a aura dos anos 50 e 60 num clima, segundo ele mesmo, de Alfred Hitchcock. O figurino de Colleen Atwood e a direção de arte reproduzem fielmente a época. O turquesa brilhante, o vermelho e o azul dos carros e dos móveis se inspiram no visual desse período mas também lembram o esquema de cores dos quadros. "Ela repetia esses tons escurecidos em suas pinturas", observa Colleen. 

"Margaret foi muito generosa na pesquisa", lembra a figurinista, contando que a pintora faz uma pequena participação no filme surgindo entre os protagonistas numa cena em que os dois estão pintando no parque. Vestidos de cintura marcada e saia rodada nas ocasiões mais sociais e camisas brancas, calças Capri e sandálias baixas de tiras fazem parte do guarda-roupa de Margaret.

estetica

Os olhos grandes de Margaret se espalharam gerando uma estética, que inspira até hoje fotógrafos como David LaChapelle, Inez Van Lamsweerde e Vinoodh Matadin. Woody Allen coleciona suas pinturas e já usou um de seus quadros na comédia "O Dorminhoco" (1973). Margaret é tão pop que as garotas e a professora, Ms. Keane, do cartoon "As meninas superpoderosas", de Craig McCracken, se inspiram nela.

Back To Top